terça-feira, 30 de janeiro de 2007

Poema da necessidade

É preciso casar João,
é preciso suportar, Antônio,
é preciso odiar Melquíades
é preciso substituir nós todos.

É preciso salvar o país,
é preciso crer em Deus,
é preciso pagar as dívidas,
é preciso comprar um rádio,
é preciso esquecer fulana.

É preciso estudar volapuque,
é preciso estar sempre bêbado,
é preciso ler Baudelaire,
é preciso colher as flores
de que rezam velhos autores.

É preciso viver com os homens
é preciso não assassiná-los,
é preciso ter mãos pálidas
e anunciar o fim do mundo.

Carlos Drummond de Andrade

2 comentários:

Lara disse...

eu aposto um pote de doce de leite (eu adoro doce de leite) que tu postou esse poema depois do especial do TOM na TV!

Jônatas da Costa disse...

sabe tudo!
to te devendo o doce.
beijão