sábado, 26 de novembro de 2005

Mulher não entende de futebol!

Em homenagem ao grande jogo de amanhã.

O tema, tenho certeza, não é polêmico. Mulher não entende nada de futebol!
Antes que minhas leitoras pelo Rio Grande afora (por enquanto só minha irmã, e ainda porque está esperando para usar o computador), ergam seu dedo fura-bolo em riste perguntando: “Que história é essa?!”, eu explico.
Os assuntos aqui, na verdade, são amor e paixão, esta dupla que aqui aparece no plural, mas que bem poderia estar no singular, como coisa una, se o tema fosse outro que não o velho esporte bretão.
Acontece que o futebol trata, exclusivamente de PAIXÃO. Que fique bem longe de nós, homens, aquela sensação horrível de parar pra pensar o futebol. Pois lá no fundo de cada um de nós existe uma voz explicando: “São apenas uns pernas-de-pau, correndo atrás de uma bola, pra lá e pra cá, jogando por amor aos seus próprios bolsos e eu não tenho motivo nenhum pra gritar Goool quando aquele balão redondo entra em uma das redinhas. Eu preciso é me preocupar com minha vida, meu emprego, meus filhos, os problemas do país....” Vá de retro! Sai do meu corpo! Imagina uma verdade destas sendo enunciada em pleno Monumental lotado?! Coisa de mulher!
Acontece que as mulheres querem amor, meu velho. Amor. Relação duradoura e profícua. Na alegria e na tristeza, na saúde e na doença. Na série A ou na C. O amor até já existiu no futebol. Ou pelo menos algum arremedo dele. O grande, magnífico, imortal Eurico Lara se ofenderia se, em meio aos 15 anos (!) em que vestiu a camisa de guardião das redes tricolores, o Grêmio oferecesse-lhe salário. Assim como se ofendeu o insuperável Foguinho – 14 anos no time mais vencedor do Brasil – quando lhe ofereceram pagamento pela sua dedicação. Porém, quando este mesmo Foguinho voltou pra ser treinador meteu a facada no meu Grêmio, pedindo um salário exorbitante para a época. Pois é... Amor, amor mesmo, no futebol, não existe!
Então elas que não venham com esta racionalização das coisas. “Amorzinho, porque tu não vens jantar? Não podes perder 5 minutinhos desse jogo?” Óbvio que não!! Pergunta idiota! Semifinal! Tá maluca?!
Há aquelas que vão ao estádio, vestem a camisa, sabem até o que é impedimento às vezes! Mas ainda assim, não é a mesma coisa. Mesmo estas não conseguem captar toda a essência de um Haroldo narrando: “Aílton, adivinhe...” em 96. Ou o arrepio causado por aquele: “Renato botou na área, olha o gol! Gooooool do Grêmio! César, aos 32! Eu disse que acreditassem, eu pedi que acreditassem, eu nunca deixei de acreditar que o Grêmio ia ser Campeão da América, hoje, esta noite, em Porto Alegre!”, em 83.
Não quero com isto insinuar que as lindas mulheres gaúchas devem deixar de enfeitar nossos estádios. Mas assim como o clímax feminino é indescritível para nós, pobres machos, as mulheres também nunca sentirão a emoção e alegria coletiva do gol em toda a sua plenitude. É PAIXÃO! A tal da Paixão por Futebol. E paixão não se explica. Paixão nos deixa até meio burros. Aquela tamanha ansiedade que toma conta da gente por inteiro, do dedão do pé ao fio mais arrepiado de cabelo, quando ela diz que vai ligar e se demora é, em tudo, semelhante àquele gol do título que, teimoso, caprichoso, deixou para sair aos 40 do segundo. E ainda por cima restaram mais 5 aflitivos minutos pra trucidarmos nossas unhas.
Ah, e você aí que se julga cheio de neurônios e fica tentando explicar nossa paixão maior: Cuidado, hein? Neurônio demais é coisa de mulher! Começa assim devagar e depois, mais rápido do que uma buzinada do carro de trás na sinaleira, tu já estás lá, lavando a louça pra ela, no hora do jogo e, no máximo, ouvindo pela Guaíba!

5 comentários:

Paul disse...

Pô Negão, tá melhor que o Peninha! estás perdendo dinheiro, quem sabe tu não tenta uma coluna esportiva aí no .... (substituir pelo nome do jornal de maior circulação em Canguçu (ou o único))

daniela disse...

porraa negão, escreves muito bem negão!!! mas vai te cagar!!!

Kátia disse...

Apesar de eu não concordar com quase nada desse texto (não acredito que nem uma mulher falou nada!! Bem se vê que só a Dani e tuas manas lêem teu blog!!brincadeirinha - "OOOO Daaaaniiii, fala pra ele!!"hehehehe), ele foi muito bem escrito mesmo! Adorei o estilo!! Mas mulher entende sim de futebol, sente paixão também... tenho amigas q estão até hoje roucas da "loucura" que foi o sábado... outras q contam q choraram e tudo mais... Se tu ainda não conheces umas gurias assim pode ter sido falta de sorte tua, ou de repente essa tua postura pode ter simplesmente impedido que alguma delas demonstrassem a "paixão" pelo time. Porque uma coisa é certa, mulher nenhuma gosta de "se mostrar" pra quem já tem um pré-conceito sobre ela... E, a propósito, nosso joguinho tem rolado todos os sábados... só falta tu dizeres que "são umas machonas"... (deixa essa pro Carlos!!)

Dani lindinha!!! disse...

ahhhhhhhhh!!!E sou apaixonada pelo grêmio também!!!!

Dani ;p disse...

Pode ser que não tenha me expressado bem, mas o "vai te cagar!" foi pelo texto, que apesar de bem escrito é uma visão bem machista do meu amado!!hehehe!Não fica brabo!!
Apesar dos tropeços pelo caminho vocês são meus amores, com certeza!!